Imagens Digitais LRPT

UPDATE: 25/08/2016

Finalmente recebi o meu AirSpy mini e também consegui calibrar o meu filtro VHF (aqui). E posso dizer: o resultados de ambos é totalmente diferente de quando se utiliza um simples dongle SDR ‘comum’. Segue abaixo a primeira imagem que recebi do METEOR-M2 na órbita #11058

26/08/2016

25/08/2016

 

Depois de conseguir receber imagens dos satélites NOAA, chegou a hora de testar com as imagens digitais dos satélites METEOR-M-N1 e METEOR-M-N2, que são dois satélites meteorológicos russos. Estes satélites transmitem as imagens no formato LRPT (Low Rate Picture Transmission) e possuem uma resolução bem maior que os satélites NOAA (cerca de 1Km/pixel). Estes satélites possuem uma órbita polar circular a uma altitude de 820Km.

22/03/2016

10/02/2016

06/01/2016

04/01/2016

29/12/2015

23/12/2015

14/12/2015

13/12/2015

12/12/2015

10/12/2015

Antena Portátil VHF/UHF

Para poder utilizar um HT (rádio portátil) na comunicação via satélites, é necessário ter dois equipamentos ou uma antena dual-band, pois na maioria dos satélites os links de up e down são normalmente inversos. Isto é, transmite em VHF e recebe em UHF (e vice-versa). Como eu não tenho dois equipamentos a disposição, resolvi correr atrás de uma antena de boa qualidade com um bom ganho e encontrei a antena portátil 2V4U no site do amigo Roland. Esta antena tem um ganho estimado de 10 dBi em UHF e 6,2 dBi em VHF, além de ser extremamente fácil de se construir.

As medidas para a construção da antena são (fonte: PY4ZBZ):

Medidas dos elementos, para diâmetro de 1,5 mm (varetas de solda), respectivamente comprimento e separação (em mm) em relação ao radiador UHF Su:

D2 : 307 e 384   ;   D1 : 309 e 150   ;   Su : 330 e 0   ;   RU : 328 e -176 ;

Sv : 957 e -20   ;   RV : 1020 e -385

Medidas dos elementos, para diâmetro de 3 mm (cobre ou alumínio), respectivamente comprimento e separação (em mm) em relação ao radiador UHF Su:

D2 : 300 e 384   ;   D1 : 308 e 150   ;   Su : 324 e 0   ;   RU : 328 e -176 ;

Sv : 946 e -32   ;   RV : 1000 e -440

Para a montagem da minha antena, utilizei conduítes e suportes de conduítes, ambos encontrados facilmente em casas de construção/elétrica. Os elementos foram feitos com varetas de solda de alumínio. Ainda não pude testar o desempenho da antena na prática, mas seguem algumas fotos da antena finalizada e o resultado dos testes efetuados com equipamento de medição.

Nas simulações feitas pelo Roland, a antena teria um SWR de quase 1:1 em 146 Mhz (VHF) e 436 Mhz (UHF), com aproximadamente 50 Ohms em ambas as frequências. Ma prática, cheguei muito perto da simulação: melhor SWR=1,07:1 em 146.181 Mhz e melhor SWR 1,23:1 em 436.204 Mhz.

Caracterizando o Filtro RBP-140+

O filtro RBP-140+ é uma boa opção para quem esta tendo problemas de interferência durante a recepção de sinais VHF (principalmente satélites meteorológicos, como os NOAA e METEOR que possuem sinais relativamente fracos) mas não quer montar seu próprio filtro VHF. Ele possui frequência central de 140Mhz e sua perda é de 2.6dB (informações do Datasheet). Na pratica, o resultado foi bem próximo. Segundo os testes efetuados em um VNA, a frequência de menor perda é 130Mhz, com 2.32dB de perda. Comparado ao meu filtro de construção caseira (aqui), a perda é maior, já que consegui uma perda de 1.72dB em 137.5Mhz.

A atenuação dos dois é bem parecida, ficando na média de 55dB (o datasheet diz que a atenuação típica é de 40dB). Contudo, consegui deixar o meu filtro com uma banda um pouco menor, filtrando melhor os sinais próximos da banda passante.

A grande vantagem deste filtro é que ele é um produto pronto. Basta você mandar fazer uma PCB (você também pode montar em casa) e soldar o componente nela. Pronto, seu filtro esta pronto para uso!

Para baixar os resultados dos testes clique nos links abaixo:

Vale lembrar que este filtro é somente para recepção de sinais. A potencia máxima de entrada é de 0.3W.

Calibrando o filtro p/ NOAA e METEOR-M N2

Finalmente consegui um equipamento para poder testar e caracterizar meus filtros e minhas antenas: um VNA! Na verdade, um miniVNA! heheh

Enfim, algumas imagens da versão final do filtro já com a calibragem efetuada.

PDF com detalhes:

Consegui ótimo resultados com esse filtro. O mesmo tem uma perda de -1,72dB em 137.5Mhz, o que é um ótimo resultado para um filtro construído em casa com sucata.


Mais algumas imagens sa calibração que fiz no meu filtro para receber as imagens dos satélites NOAA e METEOR-M N2 (satélites meteorológicos). O filtro esta calibrado para faixa de 137.100Mhz.

Instalando o agente Zabbix 3 no XenServer 7

O XenServer 7 é baseado no CentOS 7 e com isso fica fácil instalar o agente do Zabbix nele. Para isso, precisamos seguir três passos:
1) Instalar as dependências do agente;
2) Instalar o repositório do Zabbix;
3) Instalar o agente do Zabbix;

O primeiro passo é a instalação das dependências e do repositório do Zabbix. No console do XenServer 7, execute:

$ rpm -Uvh http://mirror.centos.org/centos/7/os/x86_64/Packages/libtool-ltdl-2.4.2-20.el7.x86_64.rpm http://mirror.centos.org/centos/7/os/x86_64/Packages/unixODBC-2.3.1-11.el7.x86_64.rpm http://repo.zabbix.com/zabbix/3.0/rhel/7/x86_64/zabbix-release-3.0-1.el7.noarch.rpm

Depois, instale o agente:

$ yum install zabbix-agent -y

A porta 10050 deve ser liberada no firewall do XenServer para permitir a conexão do agente. Edite o arquivo /etc/sysconfig/iptables e adicione as linhas:

# Zabbix-Agent
-A RH-Firewall-1-INPUT -p tcp --dport 10050 -j ACCEPT

Reinicie o firewall e habilite o inicio automático do agente Zabbix:

$ systemctl restart iptables
$ systemctl enable zabbix-agent
$ systemctl start zabbix-agent

Pronto, agente Zabbix instalado e habilitado no XenServer 7! Não se esqueça de configurar os parametros do agente Zabbix no arquivo /etc/zabbix/zabbix_agentd.conf antes de iniciar o serviço.